30/6/2020

Please reload

Arquivo

Enxaqueca com aura

30/05/2020

1/6
Please reload

Assuntos relacionados

AVC

01/01/2017

 

 

        AVC é a sigla para Acidente Vascular Cerebral. Pode ser classificado em AVC isquêmico (AVCI) ou hemorrágico (AVCH). No Brasil, é responsável por cerca de 100.000 mortes por ano. Apresenta alta taxa de mortalidade e morbidade. O AVCI é responsável por cerca de 70-80% dos casos e o AVCH corresponde à 20-30% dos pacientes. O AVCI deve-se a uma morte de um grupo de células do encéfalo causado por redução do fluxo cerebral para uma área do tecido encefálico. O AVCH é secundário ao rompimento de uma artéria principalmente por uma crise hipertensiva, rompimento de aneurisma cerebral ou malformação arteriovenosa.

 

        Cerca de 10-15 % dos casos ocorrem em pacientes com menos de 50 anos e a frequência vai aumentado progressivamente a cada década de vida.

 

        Os sinais e sintomas podem ser: alteração súbita da fala/ linguagem, dormência ou fraqueza na face, braço ou perna, falta de equilíbrio e modificação da marcha, dificuldade na deglutição. tonteira associada com vômitos, mudança no campo visual, alterações agudas da memória, alterações no nível da consciência, cefaleia intensa (no AVEH). É fundamental a identificação destas alterações para que o melhor tratamento seja disponibilizado. O mneumônico SAMU ( Sorriso, Abraço, Mensagem e Urgente) é utilizado para identificar os pacientes com provável AVC.

 

         Os fatores de risco são: hipertensão arterial sistêmica (HAS), diabetes melito (DM), aumento do colesterol ruim (LDL) e redução do colesterol bom (HDL), tabagismo, etilismo, obesidade, sedentarismo, doenças cardíacas (arritmias, cardiopatias, valvulopatias) e outros (doenças hematológicas, dissecção de artérias extra ou intracranianas, uso de anticoncepcional oral). Uma combinação bastante perigosa e que aumenta o risco de doenças cerebrovascular é o uso do anticoncepcional em mulheres tabagista, hipertensas, com enxaqueca com aura e a com doenças hematológicas (ex: trombofilias).

 

        A prevenção desta patologia está intimamente ligada a mudanças dos hábitos de vida (atividade física regular, alimentação saudável, suspensão de etilismo e tabagismo) e ao tratamento das doenças crônicas (has, dm, dislipidemia e doenças cardíacas).

 

        O tratamento na fase aguda do AVC vai depender do tipo (AVCI ou AVCH) e principalmente do tempo entre o início dos sintomas e sinais neurológicos e intervenção farmacológica/ neurocirúrgica. Na fase subaguda ou crônica o tratamento está relacionado com a reabilitação motora, cognitiva, sensitiva ou do equilíbrio. O controle dos fatores de risco é fundamental para a prevenção de novos eventos.

 

        O acompanhamento por uma equipe multidisciplinar (terapia ocupacional, fonoterapia, psicologia, nutricionista) é importante para melhor acompanhamento deste paciente.

 

 

 

 

Please reload

Neurologia

Compartilhe

Consultório

Betim:

Rua Aqueber Saliba, 75, Centro
31 3544-1040, 31 2571-1029

Belo Horizonte:

Rua Gonçalves Dias, 82, 4º andar, Funcionários

31 2516-2814

© 2017 Dr. Camilo Azeredo